Cadastre-se e receba novidades

Nome*

E-mail*


Seus dados foram enviados com sucesso.
Califórnia Dream - Mr. Jazzy

Califórnia Dream

Atravessar a Califórnia de carro, como nos milhares de filmes que a gente já viu na sessão da tarde, não é um sonho tão complicado de colocar em prática, acredite. Meu amigo Márcio Costa, criador do Conexão Mundo e expert em viagens, montou um roteiro para te ajudar a planejar a aventura.

“A primeira vista, o convite para ficar em São Francisco pode parecer irresistível, mas deixar a cidade com destino ao sul da Califórnia só vai te trazer boas surpresas. Não bastasse o cenário exuberante, uma mistura perfeita de surpreendentes encostas e belas praias, a região costeira da Califórnia, que vai de São Francisco a San Diego, é cheia de história e cultura. A sugestão de roteiro é de 7 dias, mas você pode (e deve!) esticá-lo a cada parada. Aproveite!”

Dia 1

São Francisco – Baía de Monterey – Carmel: 167km

Deixe para trás as ladeiras e os bondes de São Franciso e caia na Highway 1, a estrada que acompanha a maior parte da costa da Califórnia. A primeira parada, a 117 quilômetros de São Francisco, é Santa Cruz, já dentro da Baía de Monterey. E Santa Cruz é completamente californiana: sede da University of California e berço do surfe na costa oeste americana, a cidade tem um centro histórico do século 18 e um bucólico parque de diversões no Beach Boardwalk. Você pode almoçar aqui, nos cafés da Pacific Avenue, ou seguir direto para Monterey, onde os restaurantes mais descolados ficam na Fisherman’s Wharf, antiga zona portuária, e em Cannery Row. Capital da Califórnia até 1848, Monterey tem charmosas construções históricas, é sede de um festival de jazz em setembro e abriga o maior aquário do país, o Monterey Bay Aquarium  – se você viaja com crianças, não deixe de visitá-lo. Coladinha em Monterey está Carmel. Carmel é para ser explorada a pé, fuçando os antiquários, lojas e cafés nos arredores da Ocean Street. Com ares europeus, Carmel é ponto de parada de celebridades – a maior delas é Clint Eastwood, que foi prefeito nos anos 80 e hoje é dono do restaurante Mission Ranch, que abre apenas para o jantar. Se você quiser esticar uma boa opção é reservar um quarto no familiar Normandy Inn.

Dia 2
Big Sur: 200 km

Logo cedo, uma difícil decisão pode surgir no seu horizonte: passar a manhã na deliciosa Carmel ou percorrer uma das estradas mais famosas da Califórnia? Se você optar por pegar o carro e conhecer a 17-Mile Drive, não vai se arrepender. Trata-se de um percurso de três horas repletas de campos de golfe, casas de bilionários, florestas, praias e encostas. Uma delícia, mas a grande panorâmica mesmo é a Big Sur, estrada que começa 40 quilômetros ao sul de Carmel. São 160 quilômetros de praias, montanhas e penhascos capturados em várias cenas clássicas do cinema. Vá devagar, apreciando as curvas e os cenários. Não há grandes cidades ao longo da Big Sur, apenas a natureza: selvagem em Point Lobos (cheio de barulhentos leões-marinhos), romântica no parque Julia Pfeiffer Burns e árida na Jade Cove. Um bom pit stop é Nepenthe, cidadezinha escondida cujo restaurante mais famoso leva seu nome e serve no terraço à beira-mar. A visita ao Hearst Castle, em San Simeon, é obrigatória. A casa do milionário William Hearst tem 110 cômodos, como a Sala de Reuniões com uma imensa lareira francesa do século 16 e a Piscina Romana, com azulejos folheados a ouro! Descanse em San Luis Obispo, uma das cidades mais antigas da região e, atualmente, das mais modernas, graças aos universitários que vivem ali e circulam pela Higuera Street. Às quintas-feiras, uma grande feira ao ar livre reúne os moradores da cidade.

Dia 3
San Luis Obispo – Santa Maria – Santa Ynes Valley: 105 km

De manhã, aproveite para visitar a San Luis Obispo Mission de Tolosa, fundada em 1772. Ela ainda é usada como igreja e ao seu lado, um museu apresenta arte indígena. Despeça-se da cidade e caia na Highway 1, novamente na direção sul, para explorar a região de Santa Barbara, célebre pelos vinhedos, praias e casarões de celebridades (Neverland, do Michael Jackson, fica aqui). A primeira parada é Santa Maria, 57 quilômetros ao sul de San Luis Obispo. Santa Maria é pequena, charmosa e auto-intitulada capital mundial do churrasco. Na Broadway, principal avenida da cidade, o churrasco assado não com carvão mas com a lenha de um carvalho típico da região, é encontrado até em barracas de ambulantes. Santa Maria é um dos pontos de partida para as vinícolas do Santa Ynes Valley. O passeio, uma rota de 48 km bem sinalizados, pode ser curtido em dois dias, para você ter tempo de apreciar as paradas, a paisagem e as degustações. Por Santa Maria, você entra no vale através da estrada Foxen Canyon e segue até Los Olivos, onde um agradável café serve almoço. Uma boa maneira de se familiarizar com a região é assistindo ao filme Sideways – Entre umas e outras.

Dia 4
Santa Maria – Solvang: 56 km

Solvang, no meio da rota dos vinhedos, não se parece com nenhuma das cidades vizinhas. Fundada por imigrantes dinamarqueses em 1911, é uma cidade em estilo escandinavo cheia de construções que parecem de brinquedo, enfeitadas com moinhos e bondinhos puxados por cavalos. Em Solvang há ótimas confeitarias, padarias e delicatessens. Ou seja, é aqui que você pode se abastecer de pães e queijos para continuar seu passeio no Vale de Santa Ynes com direito a piquenique. Uma das vinícolas mais procuradas da região é a Sanford Winery, na cidade de Buellton, famosa pelo seu pinot noir. Os restaurantes da região são ótimos – em Solvang, há vários de comida dinamarquesa, com sobremesas ainda mais saborosas de agosto a outubro por causa da temporada da maçã. Em Buellton, a dica é o Hitching Post II, que serve carnes e produz o próprio vinho.

Dia 5
Solvang – Santa Barbara: 57 km

Pegue a Highway 101 para Santa Barbara. A chegada pela costa já dá uma ideia do clima do lugar: são 8 quilômetros de palmeiras à beira-mar. A diferença entre a nórdica Solvang e a mediterrânea Santa Barbara é notável – pelo menos na arquitetura, pois as duas são irmãs no bom gosto e no apreço pela boa cozinha. Fundada em 1782, Santa Barbara foi destruída por um terremoto em 1925. A reconstrução da cidade obedeceu a um estilo arquitetônico mediterrâneo. Na State Street, cafés, bistrôs, lojas descoladas e ateliês reúnem gente bonita e desencanada. É o lugar ideal para escolher um café, sentar e curtir um final da tarde vendo o tempo passar. Se quiser esticar o passeio, veja a vizinha Montecito, ainda mais sofisticada que Santa Barbara e lar de celebridades como a apresentadora Oprah Winfrey, o ator Rob Lowe e o casal Michael Douglas e Catherine Zeta-Jones.

Dia 6
Santa Barbara – Santa Monica: 152 km

Despeça-se da região dos vinhos para entrar no circuito das praias mais retratadas no cinema. O litoral próximo de Los Angeles é cheio de nomes conhecidos: Malibu, Venice Beach, Santa Monica e Long Beach estão aqui. Ao longo da Pacific Coast Highway (a Highway 1), se você alugou um carro conversível, vai ficar ainda mais no clima. Entre a praia e a cidade, está o parque costeiro de Palisades, com refrescantes palmeiras e uma excelente vista para o pôr-do-sol. O píer de Santa Monica, é vizinho de um parque de diversões com enorme roda gigante. Santa Monica é uma ótima parada para compras, mas se a Califórnia que você procura não é a do consumo e sim a do sonho cantado por The Mamas & The Papas, vá para Venice. Boêmia, Venice Beach reúne patinadores, skatistas, e muitos tipos exóticos em seu calçadão à beira-mar. A cidade é pitoresca desde seu nascimento: o milionário que a criou, há 100 anos, queria homenagear a Veneza italiana. Para isso construiu uma grande rede de canais que logo se desmanchou. Os que restaram estão ao longo da Dell Avenue num cenário bucólico. As melhores opções de hospedagem estão em Santa Monica – como o Huntley Santa Monica Beach e o Casa del Mar.

Dia 7

Santa Monica – San Diego: 182 km

Se você quiser parar por aqui, pode esticar até Anaheim, onde está a Disneyland californiana. Ou siga direto para San Diego, parada final deste roteiro. Foi aqui que nasceu a Califórnia, foi em San Diego que a primeira das 21 missões jesuíticas foi estabelecida, em 1769. Na cidade respira-se história: em Old Town tudo lembra uma cidade do Velho Oeste, tempo em que a Califórnia ainda era mexicana. No Gaslamp Quarter , zona de prostituição e jogo durante o século 19, a iluminação a gás dá o clima nostálgico para modernos bares, restaurantes e boates. Na praia de Coronado fica o hotel de mesmo nome, onde foi filmada a maior parte do clássico Quanto Mais Quente Melhor, com Jack Lemmon e Marilyn Monroe. Um dia pode ser pouco para visitar San Diego, pois ninguém deve deixar de visitar o imenso San Diego Zoo, um dos mais importantes do mundo. Com 4 mil animais, ele pode ser explorado num passeio de ônibus de 35 minutos ou por um bondinho aéreo, para depois explorar a pé as centenas de santuários. Uma excelente maneira de encerrar sua viagem.

Publicado originalmente em Conexão Mundo

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

5 opiniões sobre “Califórnia Dream”

  1. Perfeito para mim, estarei indo para a Califórnia este final de semana. Minha primeira parada será Santa Mônica, estava sem saber o que fazer lá. Mas essas informações já me deram algumas sugestões.
    Quero muito ir em São Francisco, espero que sobre tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>